NÃO COMA! Os 10 doces mais machistas e preconceituosos do Brasil

Confira a lista dos 10 doces brasileiros que são verdadeiros desserviços para a sociedade:

1. Teta-de-Nega

Num ato de profundo desrespeito para com as nossas yalodês, este doce favorece o processo de hiperssexualização da mulher negra na sociedade. Reduzindo-a a um mero objeto, que existe somente para proporcionar prazer ao senhorio.
2. Maria-Mole
Doce misógino que tenta estigmatizar as mulheres como indulgentes, incapazes de tomarem atitudes firmes, em oposição ao “João duro”. Reforçando o estereótipo da mulher como o “sexo frágil”.
 
3. Pé-de-Moleque
Este doce apresenta uma dupla carga de desserviço: ao mesmo tempo em que fomenta a pedofilia ao objetificar partes do corpo de um menino, traz ainda uma boa dose de misoginia ao obrigar as mulheres ao humilhante ato de lamber os pés de uma figura do gênero masculino. Nota-se ainda que, ao contrário do doce “Maria-Mole”, o pé-de-moleque possui constituição dura.
4. Carolina
Mais um doce misógino que reduz a figura feminina a um mero objeto ao dispor do patriarcado.
Não é difícil imaginar a frequência com que este doce é utilizado para oprimir as mulheres que infelizmente foram registradas como este nome, realizando piadinhas que lhes causam constrangimento.
5. Bolo Floresta Negra
Mais um doce que reduz a figura dus negres a reles objetos destinados a servir a Casa Grande, agradando seu paladar tal como as escravas cozinheiras eram encarregadas de fazer.
6. Bolo Floresta Branca
Tendo ciência da inexistência do “racismo reverso”, este bolo evidentemente enaltece ideais nazifascistas de pureza racial. É certo que nos mercados este bolo é vendido por preços superiores ao atribuído ao floresta negra.
7. Baba de Moça
Doce que remete à prática de atos lascivos com mulheres jovens alcoolizadas, comportamento tolerado em nossa sociedade patriarcal, mas que na verdade é considerado crime de estupro de vulnerável, previsto no artigo 217-A do Código Penal brasileiro.
8. Brigadeiro
Doce militarista e consequentemente a favor da revogação do estatuto do desarmamento. Dá visibilidade à uma patente do exército e, semioticamente, mostra-se conivente com o golpe de 64.
9. Bomba
Doce que cultua a indústria bélica, enaltecendo a forma extremista e tirânica com que o governo estadunidense resolve seus problemas internacionais.
10. Bem-Casado
Doce sectário que remete ao arcaico modelo ocidental monogâmico enquanto meio único de expressão da afetividade. Muito melhor seria se fosse “bem unides poliafetivamente”.
Fonte: JessiãoFeminista

Leave a Reply